domingo, 17 de fevereiro de 2008

Expansão



Minha caneca de leite está cheia. Estou sempre cheio. A lua, no meu jardim de algodão está cheia e não tira os olhos de mim. Por que tudo não se torna mais leve feito pluma? Todos os dias carrego meu monte de trapos, ah, como pesam! Amarro-os com cinto nas minhas costas. Sinto a dor vermelha latejando e os trapos ardendo. Olham-me como se eu fosse semi-deus. Não me permitem errar os passos. E eu tanto peço pra tirarem os olhos de mim. Deixe-me com meus erros, descubro sozinho a direção. Todos têm um esconderijo. Dá licença, vou para o meu quarto. Um quarto de mim é você, o outro quarto é alguém, eu mesmo me perco entre um e outro, minha fração está por aí simplificada ao máximo. Tudo em mim parece claro. Claro! Só eu conheço meu mundo e meu medo. Por que acha que serei como você que só recua diante de coisas grandes? Tenho medo de qualquer ventania. Você quer que eu tenha um lema e eu só encontro lama. Posso parar um pouco? Tenho que me lavar, tenho que me levar. Minha meia tão suja de barro. Meia comigo teu sonho? Fico feliz só de sonhar junto contigo. Chove sonhos a todo instante. Deve ser o verão. E nessas areias, eu garanto, todos verão meus rastros. Porque não quero ser mero espectador das coisas fugidias. Vou junto, sei voar. E voando eu enxergo melhor minhas peças do xadrez. É, talvez eu não seja grande coisa. Talvez eu só tenha uma grande causa. Existe dança de um só? Então deixa eu ficar no centro da roda porque preciso aprender os passos. Mas, por favor, virem as costas. Deixem-me crer ser.


20 comentários:

Mr. Ziggy disse...

E voe... voe bem alto, como águia. Vá desbravar mundos, vá desbravar você, descobrir suas fronteiras, seus outros trapos, suas lacunas escondidas.

Suas metáforas inspiram, seus jogos de palavras arrebentam, sua sensibilidade grita e te faz/permite querer voar.

*Sinal de reverência*

Inté!

junkiecareta disse...

Parabéns por mais um belo texto garoto.Também tenho esse vício do poema.Tenho um blog onde publico só meus poemas em prosa.Passa um dia lá pra dar uma olhada:
http://spleen-rosachumbo.blogspot.com/
Grande abraço

Bárbara Matias disse...

Seus textos se completam e andam de mãos dadas... podemos desfrutar do que se passa por ai através deles... pq vem de dentro... todos!

Amei o jogo de palavras e o estilo do texto!!!!

mto mto bom!!!

Saudades suas...
Bjinhos..

:: Daniel :: disse...

Lindas palavras. Me lembraram um verso de uma música dos Los Hermanos:

"Quero dançar com outro par pra variar, amor"

Muito embora eu prefira a versão da minha "surdez", que assim entendia:

"Quero dançar com outro par pra variar a dor".

Clap, clap, clap. De pé.

Abs.,
Daniel

Juliana Caribé disse...

Faz tempo que não vejo um texto em que as palavras se completem tão bem e tão naturalmente como nesse seu.
E, mesmo com a preocupação estilística, a poesia dele é linda.
Que posso eu dizer?
Não tenha medo dos seus medos, são eles que, de alguma forma, te mantêm vivo. Mas não permita que eles te dominem. Saiba que eles têm medo de você também, da sua coragem e determinação. Mostre a seus medos que eles são importantes, mas que é você o senhor deles, e não o contrário.
Não se incomode tanto se tudo está cheio. Enquanto o que te preencher não for vazio, sempre haverá uma beleza. Olhe para a luz que a lua cheia te dá - ela ilumina o caminho sem que você precise das luzes artificiais dos postes da cidade, ou da lâmpada do seu quarto.
Refugie-se, sempre que precisar, onde te dá mais paz. Tranque-se consigo e pense, repense, tripense. E saia da clausura mais forte, mais estável, mais certo do que você é.
Não deixe que te regrem os passos, mas permita que te ensinem. Fica mais fácil dançar quando temos uma mão firme e uma voz tranqüila nos dizendo que, se errarmos e pisarmos o pé da outra pessoa, aind assim estará tudo bem, porque o que importa não são os passos, é o balanço, o compasso, a emoção.
Não seja como ninguém, nem queira ser. Seja como sua alma diz, como seu coração sente, como seus olhos sorriem.
Sonhe, sonhe, sonhe. Sonhe com outras pessoas, sonhe sozinho, sonhe você. E realize. (não há conquista maior). Não se preocupe em ser ou não ser espectador. Basta que queira ser testemunha, de si mesmo. Não deixe que a vida passe por você sem que você a note, a abrace, a ame. Sem que você sofra com ela as desventuras e sem que você goze os prazeres.
E já que sabe voar, abre suas asas, e plana, e podes carregar quem quiser nas tuas penas...

(adoro vir aqui, sempre escrevo demais, mas sempre fico inspirada).

E, se precisar de um abraço, receba o meu.

Beijos.

Hélder, o míope disse...

Cara, meus parabéns. Cada vez melhor.

Sem palavras.

abç.

Proibida disse...

Mocinho, inspiração aguçada, hein?!? Adoro brincar com as palavras como fez nesse texto, mas é claro que você o fez com maestria! Dinâmico! Admiro-te! Beijo

Ana D disse...

Um texto fluído repleto de poesia...Combinação perfeita moço ....

nj.marabuto disse...

Como é bom brincar com as palavras!

Há! Teu blog foi das melhores descobertas, dentre os que pude visitar. Obrigado pela tua crítica do meu, que é recíproca: também vi profundidade nos teus escritos, o que me deu vontade de voltar para ler mais a qualquer hora.

Abraço

Fê Probst disse...

O peso do mundo nas costas. Cansa carregar, dói. Olhares que nos julgam por ser quem somos. Sei bem como é.

Mas não dance sozinho. Dançar sozinho é triste. Seria você e a solidão. E o triste da companhia da solidão, é que você se acostuma fácil demais com ela.

Ana disse...

"Minha meia tão suja de barro. Meia comigo teu sonho?"
Muito, muito lindo isso!
Hoje, depois dessa leitura, quero meiar meios sonhos com todos os passantes...
Beijo!
Você sempre carinhoso ao visitar meu cais...Obrigada!

Tiago Torigoe disse...

Profundo... ^^
e confuso tambem... XD
eu nao conseguiria fazer esse tipo de criação ^^

sou mais "dissertativo" do que artístico

continue com o bom trabalho \o/

Fada disse...

Adorei seu texto!!!

Gostei de verdade

estou aqui para retribuir a sua visita no Fada e dizer q linkei vc lá para nao perder mais seus posts

beijo grande

Proibida disse...

Muito obrigado. O prazer é meu em tê-lo como leitor. ^^

E pode linkar sem problema. É uma honra. Beijo

Andréia disse...

parabens pelo texto! ameii!! impressionante como vcocnseguiu usar as palavras tão bem..

quanta inspiração.. passa um pouco p mim

beijossssssss

Juliana Caribé disse...

Preciso do seu e-mail... Me manda por e-mail? (julianacaribe.frattezi@gmail.com)

NANDO DAMÁZIO disse...

Como é bom ter esse dom de manejar as palavras tão facilmente, elas fluem em perfeita harmonia .. Bonito texto, gostoso de ler ..
Parabéns !!

Fernanda Papandrea disse...

gostei muito.
lindas palavras,lindos jogos de palavras.

beijos

Fernando Locke disse...

Great boy! inspirador, deveras inspirador! é o que eu chamo de Brainstorm! varias palavras jogadas no papel mas que juntas fazem um tremendo sentido! suas metáforas foram fenomenais, gostei muito, me lembrou algumas musicas inglesas como as do the cure, the smiths e joy division! meus parabéns!

Flavinha disse...

Aprender os passos da própria dança, equilibrar-se sobre as pegadas que nos cabem... algo que dá angústia, que dá medo, que dá vertigem - e que é intransferível. Seu texto foi perfeito em todas as nuances - transbordante de ritmo e de sensações que fluem como o texto, aos borbotões.

Parabéns!

Beiojs!