terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Da solidão


Essas pessoas que passam na rua e vejo da minha janela. Afundadas em seus problemas, suas frustrações, seus segredos. São almas – e isso soa mais intenso que vidas – que buscam, que perdem, que amam, se desesperam. São quartos escuros cujos cantos nem elas mesmas conseguem alcançar. Nunca se sabe se, por trás do sorriso do outro há melancolia incontida. Nunca se sabe se, por trás do abraço habita o cinismo. Somos todos textos mal-lidos, cheios de mensagens subtendidas. Conhecemos uns aos outros mas não conhecemos o espírito – aquela essência que só a gente sabe que tem. Daí parte a tristeza em não sermos compreendidos, em termos pensamentos estranhos demais, palavras confusas, choros desnecessários. Toda essa complexidade e só conseguimos ver braços, pernas, rostos.

A solidão, dessa forma, se revela não como um evento esporádico. Solidão é o pão nosso de cada dia e se encontra nesse desejo de sermos partilhados, estudados, entendidos, imersos no mundo do outro. Mas não sejamos desesperançosos. Como disse Vinícius de Moraes: “Resta essa faculdade incoercível de sonhar, de transfigurar a realidade dentro dessa incapacidade de aceitá-la tal como é.” Basta escancarar as janelas; os outros verão não só a face mas um pouco – uma pequena parte – do interior.


5 comentários:

Juliana Caribé disse...

Eu tambem me faco esse tipo de questionamento. Quais sao os problemas das outras pessoas? Sera que elas passam pelas mesmas coisas que eu? Sera que estao sofrendo? E entendo que, aos olhos alheios, eu tambem sou uma incognita (aos meus olhos tambem, vezenquando).
Adorei o texto, querido.

(e desculpe os nao-acentos nas palavras, meu teclado esta problematico).

Beijos.

Bárbara Matias disse...

Estamos sós aqui dentro.. e vivemos em um mundo de pessoas assim... de pessoas sozinhas.
Mas sabe? Estamos, todos, sozinhos juntos. Temos algo comum!Isso nos une ou pode nos unir!

Hoje em dia consigo perceber mais que muito do que eu penso não sou só eu, são também pensamentos de outros...

Mto bom texto... me emocionou mais uma vez!

Hélder, o míope disse...

Também fico curioso. Ás vezes dá vontade de ver por trás dessas máscaras. Da solidão...
Mas penso que eu já tenho meus problemas...e logo fico sussegado.

hehehehe

abç.

Fê Probst disse...

"Solidão é o pão nosso de cada dia e se encontra nesse desejo de sermos partilhados, estudados, entendidos, imersos no mundo do outro."

Teu texto toca. Ele fala de verdades que fugimos, de medos que temos. Adorei.

Alberto Vieira disse...

Cara esta frase: Somos todos textos mal-lidos, cheios de mensagens subtendidas.

Me chamou muita atençao. Fiquei um bom tempo pensando sobre ela.

abração