terça-feira, 22 de abril de 2008

Um si, por favor


Tenho carregado você por onde eu vou. Quando toco meu violão desafinado, arrastando as pestanas ou trocando os dedos dos acordes desajeitadamente, sinto um frisson que a música do seu batido me causa. É porque de repente você me cai pela janela do quarto e fica me observado silenciosa enquanto eu arranho as cordas do violão. E você dedilha minha nuca, sem permitir que eu largue a música e olhe seus olhos. Peço pra você encostar a porta pra que a melodia não vá embora, mas você insiste em afagar meus cabelos. Vem encostando seus lábios devagarinho na minha orelha, me puxando pro seu mundo onde as nuvens são todas feitas de algodão.

Nesse momento, nossas canções já se alternaram, já se encontraram numa nota só e eu sinto esse frenesi que o seu calor me causa. O que a música faz com a gente? Que dança é essa na qual você se joga com os olhos e me convida pra ir junto? Não sei dançar muito bem. Meus pés são duros, meu corpo não tem gingado. Mas eu posso segurá-la por alguns instantes pra que você, durante minutos, perca o chão. Tem que ser com esse sorriso pendurado no rosto, tem que ser com esses olhos que tateiam minha escuridão profunda, tem que ser com essa mão que apalpa o infinito entre nós dois.

Se sua música insiste em ser tocada no meu colo, peço que providencie um diapasão e um pouco de almofadas. Gosto de me recostar em lugar macio pra poder pensar em você. No entanto, quando você decidir-se por ir embora, traz aqui pra dentro qualquer momento selado por notas. É que quero viver você enquanto o som resolver sair de algum lugar. E digo pra que você carregue minhas notas também, se é que conseguiremos separar as minhas das suas. Mas leve, leve com você meus acordes. E acorde de manhã com o sol tocando sua face; e lá longe você ouvirá o meu ré, mi, fá, sol, lá, silêncio.

27 comentários:

Bárbara Matias disse...

Sei que vc disse que era um novo momento! Um momento de outro estilo de escrita! Mas olha só isso... olha eu aqui me emocionando de novo com seus textos! =D

Lindo demais a música... o tom escolhido e essa melodia gostosa...

Obrigada...
Obrigada!

Bjim..

imnotinsane disse...

Adorei!
Musica misturada com o amor dá este belo texto :)
Gostei imenso! ***

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...

"Mas leve, leve com você meus acordes. E acorde de manhã com o sol tocando sua face; e lá longe você ouvirá o meu ré, mi, fá, sol, lá, silêncio."

a parte mais bonita... depois do belo solo musical, banhado em poesias, a música se silência. E a emoção, nascida em todo momento do toque, se externa em uma lágrima ou em aplausos.
Fico de pé neste instante seu de silêncio melodioso e reverencio seus sentimentos.

a clara menina Clara disse...

Não é o violão que exala as notas, é o outro que se transforma em dó, ré, mi..música para o coração.
A gente vai percebendo isso aos poucos.
Felicidade deve ser isso né?

Bonito demais.

beeijo!

Carolina de Castro disse...

Seu texto é lindo!
Musica para ouvidos e sensações para a vida!
Adorei!!
=P

Ká. disse...

Uhhhh! Que texto!

Achei este texto diferente dos outros seus que já li, mas nem por isso menos lindo.

Feito com uma riqueza de detalhes linda, uma melodia encantadora.

Adorei.

Grande bj

Juliana Caribé disse...

Eu ouvi a música aqui... Não sei se era seu texto ou vento me soprando palavras bonitas ao ouvido...

Beijos.

Rafael disse...

"Com meus pobres acordes, meu bem, acorde, venha ver meu choro. Fiz essa canção só pra você, mas pra quê se você gosta só de MPB e eu sou puro Rock'n Roll?"
Zeca Baleiro.
=D

Priscila Petrarca disse...

existe melodia mais bela do que aquela cantada com amor?! acredito que não.
lindo texto! beijão

Juliana disse...

Gente... que coisa mais linda!

Gente...

nj.marabuto disse...

dança não: apoteose! Na notação musical, queria morrer em suspensão — como a fermata sobre a pausa desta semibreve. Após a última nota que precede o [B]-lêncio inenarrável dos sorrisos nos olhos. seria o jeito mais belo, sensação suficiente em si mesma.

abraço.

Ni ... disse...

Lindo moço... intenso e perfeito...

Beijoo

Mr. Ziggy disse...

"E acorde de manhã com o sol tocando sua face; e lá longe você ouvirá o meu ré, mi, fá, sol, lá, silêncio."

E tenho certeza de que se isso fosse real você ia fazer a garota se melodiar todinha e ela ia pedir mais. Sim, isso soou ambíguo, mas é que seu texto foi bem pra esse caminho do sensual levemente mascarado (ou talvez articulado com?) de romantismo. A tentativa da busca por uma nova veia literária está dando certo. Amplexo!

Andréia disse...

musicalmente apaixonante!! adorei.. eita menino talentoso

beijokas!

Camilinha disse...

Como disse um amigo meu e eu vivo repetindo por aí:
-só há samba no encontro!

e que encontro, hein?!

beijos daqui...

Dominique disse...

Sabe, Filipe, o que me lembrou este texto (lindo, envolvente, e extremamente sensível e sedutor)? O filme o Som do Coração.

Fiquei pensando e imaginando a música, as ondas de delicadas cifras flutuando pelo quarto, envolvendo os dois, escapando pela porta...

Mas é bom, sempre bom, que a melodia se finde numa única nota:... a do amor.

Um abração pra ti, Filipe!

Fada disse...

Olaaaaaa

Bom estou passando por aqui para fazer um sinal de fumaça e dizer que tem presente para ti no Fada, não sei se vc viu!!!....

Estou um pouco atarefada cumprindo prazos, mas prometo voltar aqui com mais frequência.

Mil beijokas

Fada disse...

Ah!!!Linka eu?!!!..rs

beijokas

Critical Watcher disse...

Nossa Filipe!
Fico sempre a admirar cada palavra que você traz em seus textos. É uma verdadeira música, que nos faz dançar ininterruptamente.
Sou se fã...
Parabéns pelo texto!

Rafael Dias disse...

Poxa Filipe, muito bom!
Sou um pessoa que amo música e violão; super me identifiquei^^
Parabéns cara!
abraço!

Ana disse...

Senti a música do amor aqui dentro...
Beijo!

Leila Saads disse...

Ai, que delícia esse momento. Momento de amor simples e sincero. O seu texto leve, gostoso de ler, me fez enxergar suas palavras.

Beijos:*

disse...

simplesmente lindo!

Proibida disse...

Eu sempre gosto do que você escreve. Já chegou a um ponto que eu me perguntei se você nunca irá me decepcionar. O que me diz?

Eu sei a resposta: não! Creio que esta seja sua única incapacidade. :)

Até mais, alma pura.
Beijo pra ti!

Mary West disse...

Opá! Foi de arrepiar, simplesmente emocionante este texto, do inicio ao fim.

Toda Poesia disse...

Meu Deus! O que é isso? Sensibilidade tem nome? Talvez, talvez... Talvez seja o nome dessa lágrima que me escorre pelo rosto, agora que termino de "te ler". Não, não é uma lágrima de dor ou saudade. Não é sequer de felicidade. É uma coisa bonita que, como a sensibilidade, não tem nome. É um bem-estar provocado pela beleza da tua escrita. É quase um agradecimento. Obrigada, meu rapaz, por escreveres tão bem. Continue. Virei sempre aqui, renovar meus agradecimentos. Abraços. Fique bem.