quarta-feira, 16 de abril de 2008

Nossos grilhões


Deixa eu falar? Você me calou esse tempo todo com suas bugigangas e penduricalhos. Aparecia toda perfumada com tênis da Nike e relógio da Adidas. Eu a observada de longe. Tão bonita você é. Mas aquilo foi me agoniando. Que beleza é essa que cega seus olhos para a crueldade do mundo? Já observou o homem revirando o lixo na entrada da faculdade enquanto você descia do seu carro zero quilômetro? É tão bonito ter dinheiro pra se ir ao shopping e comprar mais uma bolsa pra coleção. É tão atraente se exibir pras colegas, vestindo todos os dias blusas de marcas diferentes. Alguém já viu seu interior? Ou você fica escondendo com seus batons e pó? Diga-me se há algo em você que a incomoda. Diga-me se a injustiça do mundo lhe causa algum furor. Diga-me se você, alguma noite, parou para olhar as estrelas e agradeceu pelo ar que respirava. Já vai? Escuta só mais um pouco. Esse tempo todo você me fez digerir sua beleza febril, assistindo seus desfiles inigualáveis. Agora desça um pouco do seu salto alto. Ponha os pés no chão e observe tudo aquilo que você evitou enxergar. A vida não é feita de algodão doce. O mesmo dinheiro que você usa pra desperdiçar na loja de apetrechos pro seu cachorrinho é o mesmo dinheiro que clama o estômago do garotinho que vende balas no sinal. A vida não é feita de roda gigante. Você não está sempre a cima dos outros. Veja quanta podridão, quantos olhos mareados, quantos corpos á pele e osso, quantas pessoas que não sabem nem o que é sonho porque perderam a esperança em qualquer esquina. Eu sei que você não tem culpa. Sei disso. Mas não maqueie sua realidade. Jogue fora esses grilhões e essas vendas que a impedem de ver. Depois disso, você pode voltar a desfilar, porque aí sim seu sorriso vai ser diferente. Você terá entendido. E sua beleza se destacará no meio da multidão.

24 comentários:

Bárbara Matias disse...

Gostei desse texto-transformação!rs...

O que mais me chamou atençao foi o titulo em relação ao texto! Vc diz o texto todo como que colocando o dedo na cara e apontando o erro de alguem.Mas ao olhar de volta para o título pode-se perceber que esta mulher de salto alto é a sociedade em que a gente vive! E que fazemos parte desse "dar de ombros", desse desfile de futilidade e ilusão. Entao de repente... descobrimos:São NOSSOS esses grilhões!

posso ter viajado.. mas amei entender isso!rsrsrs...
Adorei esse renovo!

Bjim.

Juliana Caribé disse...

Lipe,
que bronca essa hein?
Mas eu concordo total e inteiramente com você.
Há pessoas superficiais demais. Mesmo as que não andam com roupas de marca e carro 0Km. Há pessoas que simplesmente não vêem em redor. Se olham em volta, vêem somente a si mesmas. Essas pessoas não sabem ajudar, mas, definitivamente precisam de ajuda. Mas elas também não sabem disso. Elas não sabem muita coisa...
Não me coloco como santa, a madre Teresa de Calcutá brasileira. Muitas vezes, eu também sou negligente e superficial. A diferença é que, na maioria das vezes em que sou assim, é consciente, porque eu quero. Seja porque não quero revelar meu interior, seja por qualquer outra razão.

Podemos ser, às vezes e conscientemente, superficiais. Não podemos é ser fúteis.

Beijos.

Lucas disse...

"não maqueie sua realidade"
Vc sabe o quanto eu gosto da metáfora das máscaras, não é? Essa foi A FRASE para mim. Esconder-se atrás de algo que não se é, atrás do que é mentira, enquanto o mundo precisa de verdades, de pessoas que sangram e vêem as outras pessoas sangrando e buscam meios para estancar o sofrimento.
Muito bom o texto e super pertinente a meditação.
Abraços, irmão.

Camilla disse...

O mundo é mascarado. E essa é uma das coisas que mais me incomoda, as vezes me tira até o sono. Como posso me preocupar com a roupa da festa enquanto pessoas não tem nem o que vestir?
Não é querendo fazer um comentário bonitinho e socialmente correto, mas o mundo realmente me machuca. Sabe, as vezes começo a pensar no quanto somos insignificantes perante o universo, e como as pessoas podem viver tanto de aparência, se achando superiores umas as outras. Somos todos a mesma coisa, o que está por fora vai se acabar, com perdão da expressão, mas vai ser comido por vermes. O que importa é o espiritual. Então, se o ser humano soubesse dar mais valor a sentimentos do que a coisas materiais, creio que o mundo seria mais feliz.

Camilinha disse...

Isso mesmo! Tire os sapatos, ande descalça pelo chão envidraçado da vida nua-e-crua que se joga na nossa frente e a gente fecha a janela do nosso zero-quilômetro...

adorei o texto... parabéns!

beijos daqui...

Marina Mah disse...

É...
as vezes maquiamos o mundo triste, as mazelas que nos rodeiam para viver sem peso na consciência...

pena que "A vida não é feita de algodão doce"...

Fica um sorriso.

Rafael disse...

Ótimo desabafo. Mas temo que faltem ouvidos. Infelizmente.

~*Rebeca*~ disse...

Esse elogio vindo de você é uma honra...

Deus abençoe sua sensibilidade, Filipe.

-

Ká. disse...

Veio totalmente de encontro com as coisas que eu estava refletindo hoje.
Nossa sociedade, como um todo, precisa deste "acordar", tirar o salto, olhar além do próprio umbigo, enfim, se mais humana.

Obrigada por este texto.

Deus abençõe!

alex e! disse...

...acontece, querido Filipe, é que muitas vezes esses "grilhões" encontram-se tão fincados na mente e nos corações das pessoas que elas simplesmente não sabem (ou não querem...) retirá-los. Deparar-se com o outro, com o estranho a si, aproximar-se daquilo de que se afasta (mesmo que inconscientemente) não é nada fácil. Muitas vezes dói, machuca, e mesmo exije uma certa dose de coragem e altruísmo que muitos não desejam ter o trabalho de enfrentar. As máscaras que a maquilagem, as roupas e os "penduricalhos" criam servem pra isso: afastar-nos de nós e daqueles que tacimente nos "incomodam"... mais uma vez um belo post....... abraço em ti...

imnotinsane disse...

Tá muito bom mesmo...
Realçar sempre o interior :) ***

Rafael Dias disse...

Muito bom!
Esse tipo de coisa é o que mais presencio no meu dia-a-dia. o.O
vc é muito bom com as palavras!
parabéns!

abraço!

Ana Cláudia Zumpano disse...

Filipe,
o mundo tá contaminado né... adorei seu texto! é um belo tapa na cara, que precisamos muitas vezes refletir, pq convivendo assim, muitas vezes me pego dizendo coisas que não correspondem a mim...
Lindo! bjos ;*

Gabriella Orlani disse...

há pessoas superficiais mesmo, acham que são o umbigo do mundo, nao olham ao redor pra saber o que se passa. as vezes até olham, mas preferem nao enxergar que a vida nao é repleta de Gucci e Dolce & Gabanna.


obrigada pela visita =)
beijos

Priscila Petrarca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Petrarca disse...

Priscila Petrarca disse...
Otimo texto, adorei.
Realmente, as pessoas hoje em dia pensam mais em aparências, escondem-se por trás de máscaras, de forma que os problemas vividos na sociedade e no mundo atual não interfiram em suas rotinas fúteis. Se bem que não podemos generalizar, ainda restam pessoas engajadas e preocupadas com os outros e não apenas com seus mundinhos.

Nathalia Alves Vanderlei disse...

ao nos colocarmos distantes das realidades alheias, preenchemos a nossa hipocrisia diante da vida.

Parabéns pelo texto, bem provocante! ;*

Srta. Festa disse...

Isso me fez lembrar uma ocasião em presenciei duas mulheres em uma loja de roupas. Até aí tudo bem, mas então como se fosse a coisa mais normal do mundo, as duas começam a escolher uns sapatos que custam mais de 2 mil reais, e depois compram aquilo como se estivessem comprando pão na Padaria!

Enquanto uns trabalham o mês inteiro para terem o que comer, umas não fazem nada e gastam mais do triplo do salario de um trabalhador normal para comprarem sapatos.

Esse planeta precisa de um choque de realidade isso sim.

Bjos ^^

Francieli Hess disse...

Intenso e verdadeiro, esta é uma cena do cotidiano, que nem tantos param para refletir. Gostei daqui (é aconchegante), voltarei mais vezes.

Andréia disse...

parabens pelo post!! infelizmente tem muita gente assim por aí..

lamentável! fazer o quê?

beijos e tuuudo de bom!

Bruna.K disse...

Bah...
Gostei muito do teu texto, Felipe!
Verdadeiro, confrontante.
Faz cada um pensar um pouco sobre a sua realidade, olhar pro próprio interior e perceber que a simplicidade da vida foi perdida. Que o que valorizamos, na verdade, não tem valor. Que a vida é muito mais do que o que vemos e vivemos no nosso mundinho. Que somos nós que temos que fazer a diferença!

Saiamos então dos nossos saltos altos, dos nossos passeios ao shopping e acordemos para a realidade.

Beijos mil...

Bruna.K disse...

Espero que tu não fique chateado, mas fiz um texto lá no Something inspirado nesse.
Não deu pra segurar... :)
Passa lá depois e diz o que achou.

Beijos mil...

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mary West disse...

Ao natural, beleza natural encanta mesmo, pq essa é a que mais encanta os olhos.