quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Em círculo


De todas as vezes que procurei, achei rastros. E, dos rastros, esperança. Da esperança, um suspiro. Do suspiro, fôlego. Do fôlego, coragem pequena. Da pequena, um avanço.


E do cambalear do pé-ante-pé, encontrei portas. Sorrisos também. Algumas trancadas, alguns sem dentes. (A vista de cima é sempre mais afável; pena não se ter força nas pernas para chegar à sacada).


E do avanço, uma insistente vontade de outra procura por outros rastros.


Mora dentro qualquer desejo latente de roubar a realidade com as mãos, fazê-la própria aos olhos. Desconhecedor do que seja próprio, só resta o crer; (joelhos que ardem e mãos postas em sinal de súplica).


O bater à porta. O caminhar cansado. As lágrimas que descem involuntárias. O peito em gritos. Sossego, onde mora?


Todas as vezes que procurei. Achei. As pistas são sutis. Mas são.


E os rastros. Esses reticentes.


...

16 comentários:

Mai disse...

Oi, Filipe. Estou impressionada. Venho em círculos, tentando compor um texto com esta temática - círculos. Já escreví alguns rascunhos. Chego aqui e leio esta beleza. Forma, conteúdo enfim tudo. Perfeito. Notável!
Vou guardar meus rascunhos para um outro momento. Estou satisfeita com o que li aqui. Na verdade, repleta.
Lindo, Filipe. Lindo!

Abraços.

Vanessa disse...

Procurando e achando, assim é a vida.

Bom texto, como sempre.

Abraço

Mary West disse...

Espero um dia parar de rodar. Será que alguém anda em circulos em busca de mim? ;)

Nina Vieira disse...

e o pior de tudo eh que a vida realmente se iguala a um circulo vicioso.

Nana Jiló disse...

Pelo menos você achou. Alguns, não tem tanta sorte. É o que eu chamo de poesia em prosa, meu caro. Parabéns. =]

Rafael disse...

ah, filipe, que bonito...

Andréia disse...

"A vista de cima é sempre mais afável; pena não se ter força nas pernas para chegar à sacada"

estou "malhando" p chegar lá..

Karine disse...

As vezes é necessário repetir o círculo, mas vale tudo para alcançar...

Muito bom.
Um beijo!

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Glau Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

pistas, rastros, suspiros...
quem nunca passou por isso?!?
ótimo texto, como sempre!

;)

ALF disse...

Ô meu amigo sumido, há semanas não vai no meu blog. Espero que não tenha perdido o link hein rsrsr.
Viu nobre, aparece lá no blog. Tem texto comemorativo lá e atualmente tu faz parte da comemoração.

Grande abraço.
E volto logo pra comentar o texto.

;)

ALF disse...

Passo por isso quase que direto, numa busca intemináel por rastros ou pistas. E informações cruciais que ficam ao redor da gente, respostas para simples perguntas, ou algumas angústias.
É normal a gente ficar ai, dentro de si, se debatedo e tentado entende.

A vida nos coloca numa infinita reticência...

Sei como é.

;)

Abração

Junkie careta disse...

Tenho andado me sentindo assim Felipe...
Pra não enlouquecer eu toco, canto, componho,escrevo. A arte ainda é esse way out que nos resta. Sobretudo, pra quem ama as letras como eu e você.

Nessa tentativa, transformei em letra meu último delírio.Quando vc tiver um tempinho, te convido pra passar no Spleen rosa-chumbo. Nesse último post, eu falo dos limites entre o real e o imaginário no mundo virtual, falo sobre sentir-se íntimo de alguém pelo que ela escreve,especialmente aqui na blogesfera.

Grande abraço

Anônimo disse...

Filipe você está de parabéns!!!todos os seus textos são excepcionais...Continue escrevendo já te admirava,agora te admiro muito mais...Existe um sonho,um segredo um amor.Existe uma alegria ,uma tristeza uma lágrima uma dor.Existe uma história, uma realidade existe um alguém que te admira de verdade!!!sou eu descubra quem sou!