terça-feira, 7 de outubro de 2008

Em família


A mãe bateu três vezes na porta do quarto. Não obteve resposta. Preocupada, gritou o nome do filho. Como não havia sinal algum, resolveu girar a maçaneta e entrar, mesmo sabendo que o menino não gostava disso.


Entrou e sua boca fez um grande ó, tamanho espanto. Beliscou-se para ver se não era um sonho ou se não estava delirando. Bem que o médico estava suspeitando de alguma neurose. Voltou à sala e foi chamar o marido que lia atentamente o jornal.


- Deixa de ser louca, mulher. – disse o marido sem desviar a atenção da leitura.


De tanta insistência, o marido concordou em ir ao quarto do filho e ver com os próprios olhos o absurdo contado pela mulher. Sempre fora um homem cético e só acreditava se apalpasse a realidade. Racional até demais. Entrou no quarto do filho e espantou-se. Um frio gélido percorreu-lhe a espinha.


- Eu falei pra você. – chorava a mulher, copiosamente.


O rapaz que, durante todo o tempo, esteve dentro do quarto, não desviou sua atenção da tela do computador. O pai se aproximou e soltou um grunhido.


- Meu filho!


O rapaz se voltou para o pai e deixou escapar um sorriso de contentamento. Disse ao casal que, desde pequeno, descobriu-se. Nunca tivera coragem de contar aos pais e, por isso, manteve seu segredo por quatro ou cinco anos. Pediu perdão, falou que sabia da preocupação deles e não os queria aborrecidos.


- Mas meu filho. – começou a mãe. – Nós criamos você com todos os mimos. Como pode ter feito isso conosco?


- Eu não fiz nada, mãe. Foi uma grande surpresa pra mim também. – explicou o menino em sua calma invejável.


- Você morrerá de fome. – lamentou o pai.


- E passará a vida frustrado, almejando o sucesso que não veio. – completou a mãe.


- E, se vier o sucesso, perderá todas as suas virtudes, meu filho. Porque o homem, quanto reconhecido, tende a se inclinar pras vaidades. – continuou o pai.


E saíram do quarto, marido e mulher. Foram abraçados, com o semblante entornado de tristeza. De repente, o marido se voltou para a esposa e confessou-lhe ao pé do ouvido:


- Sabe de uma coisa? Eu, assim como ele, também sempre quis ser escritor.



29 comentários:

Mariana disse...

durante o texto eu pensei:

" o garoto tá possuido"
não..."o garoto é gay..."
"ah não.. ele queria ser ator"

E ele queria ser escritor...

gostei!!!!

beijoss

Lena disse...

gostei desse texto...
achei q ele tava morto ou sei la o.. .ahuahs
beijos

Flávia disse...

Sabia que eu já passei por isso? Assim mesmo... mas meus pais não queriam ser escritores. Ainda assim, aceitaram negociar comigo, rs.

Beijos!!

nina disse...

" o garoto tá possuido"
não..."o garoto é gay..."
"ah não.. ele queria ser ator" (2)

Surpreendente mesmo.
Idem. Minha maior ambiçao é a mesma desse guri.

Caroline disse...

também imaginei algo do tipo "o exorcista"

=]

um beijo!

Nana Jiló disse...

Fantástico! E eis que a claque aplaude!

Bárbara Matias disse...

Oh... agora que fui ver que meu comentario realmente nao chegou aqui! =/

Hum... gostei mto!!

Acho que quero ser escritora tb!rs É que adorei esse espanto!hehehehehe...

Bjim =D

Glau Ribeiro disse...

Filipe,

Pensamentos me levaram pra vários lugares e situações imaginando o que aconteceria no seu final. E acabei descobrindo que texto seu não tem final, porque é quando a gente escreve que a viagem começa. E a gente pode ser quem quiser. E a gente pode ir pra qualquer lugar. E viver as coisas mais simples e belas da vida.

Seu texto fez mágica em mim. Nada mais a dizer a não ser que ele é de uma simplicidade e sensibilidade tremenda. Lindo! Lindo!

Beijo meu!

Lua Durand disse...

e não são todos que tem essa coragem não é mesmo!

estou com Leminsk e ponto.

pronto!

-

cheiro pra você.

Camila :) disse...

" o garoto tá possuido"
não..."o garoto é gay..."
"ah não.. ele queria ser ator" (2)


bejooo

Camila disse...

Nu!
Pensei cada coisa... também pensei que ele queria ser artista! E acertei, pois escritor é quem dá vida a personagens!
Adorei.
Beijos

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

juro que primeiro pensei: Morreu!
depois: é gay!

kkkkkkkkk mt bom ;)

Laís Eva disse...

interessante.
gostei do final!

=)

a clara menina Clara disse...

aii aiii.. os tais poetas!

caicko disse...

Gostei demais!!! E essa dubiedade para o desfecho foi incrível. Lembrei de um conto do Caio Fernando Abreu, onde o personagem principal não abria a porta de jeito algum e, no final, virava borboleta e voava pela janela. Talvez não seja um texto autobiográfico... mas que você é um magnífico escritor... disso não guardo dúvidas!! Parabéns, amigo. Ótima semana.

Bill Stein Husenbar disse...

Pensa-se tanta coisa durante a leitura e afinal o desfecho é inesperado.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Daah O. disse...

Gente, nunca vi tanto suspense...rs.

Queria logo pular para o final.

Muito bom.
=)

imnotinsane disse...

Adorei!
Que vontade de chegar ao fim mais rápido!!!
***

Gabriela M. disse...

Eu fiquei imaginando qual teria sido o espanto da mãe e o pai, até que li "sentado em frente ao computador."
Depois do "você morrerá de fome" tive certeza do que se tratava. Enfim, essa realidade ainda é bem real por aqui.

________________________

Filipe, como você anda meio sumido lá nas bandas do meu blog, vim te avisar que mudei a url (agora é carmelitando.blogspot.com) e o título (agora é Carmelita).

beijo.

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lunara disse...

Oi Filipe,
como sempre vc me surpreende e encanta com o seu jeito de esculpir textos com as mais belas palavras.
Adorei...durante a leitura fiquei anciosa para ler o fim. Realmente envolvente e chamativo.

Bjo grande!

Luifel disse...

Caramba cara, muito bom o texto. Eu pensei uma porrada de coisas sobre o garoto, mas assim como o Caicko lembrei do conto do Caio F, que por sinal é dos meus prediletos

Eu jurava q no fim ia ter algum bilhete do garoto dizendo q tinha saido pelo mundo pra um ano sabático,sei lá...

Abção!

Camilla disse...

Você não morrerá de fome, não vai ser frustrado, vai alcançar o sucesso que almejar e quando alcançar, continuará preservando todas as suas virtudes, pois tenho certeza que será um grande escritor!

Camilla disse...

Aliás, não será, JÁ É!

Nana disse...

Nossa... Demais!!!
Final surpreendente, porém não poderia ser melhor!!!!

Mary West disse...

Ain que lindo, tipow, eu ia morrar de orgulho por um filho escritor.

will disse...

A Sociedade dos Poetas Mortos. Foi do que me lembrei.

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu