segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Verbo Amor

Amor tem gosto de fruta madura

Tem gosto de Romã vermelha

Tem cheiro de planta fresca

E sossego de cidade pequena.

Tem jeito de eternidade

É Romãce novo

São lembranças velhas

Tem ar de Roma Antiga

E suspiro de alma nova.

Amor é Romãce contínuo

É amorfo e solúvel

É grande e dura sempre

Amor está presente

É a Romã, é Roma

É o Romãce

É o verbo.

5 comentários:

BARBARA disse...

Nossa.... lindo, lindo, lindo!!!
E mais lindo!!!
Amei o trocadilho e o jogo diferente de palavras!
Rico, poético e lindo!

Mr. Ziggy disse...

Tava falando de Jesus, né? O verbo... era Ele! Porque amor entre homem e mulher nem sempre é essa porção de coisas boas e suaves não, viu... rsrs! ;***

Juliana Caribé disse...

Gostei muito da frase que seu avô te disse. Muito sábia também.
E gostei muito do jogo de palavras do seu texto. Talentoso.

Beijocas.

Albert disse...

Muito bom Filipe!

Mto bem escrtio e poético.
Parabens!!

abração

Luis Fernando disse...

Muito bom! mas é impossivel definir o amor, mas nós, nas condiloes de escritores, devemos tentar, não? ah, vou prafrasear Rentao Russo: "quem inventou o amor,me explica por favor..."