quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Agentes secretos


Ele viu que a moça parou perto da mureta e acendeu um cigarro. Receoso, ele esperou uns poucos minutos. Aguardou até que ela tragasse até o fim. Não perdeu tempo em observar que se tratava de uma moça bonita. Cabelos negros e longos, olhos amendoados, lábios delicadamente finos. Quando ela tirou um espelhinho da bolsa tira-colo, entendeu que era o sinal.


- É você? – ele pegou a moça desprevenida.


- Oi?! – ela, assustada, numa vozinha de choro, linda.


- Tenho algo para lhe dar. – disse ele, abrindo a pasta e tirando um embrulho.


- Tem certeza? – ela, desconfiadíssima.


Ele segurou o embrulho.


- Você não estava à minha espera? – ele perguntou.


Ela sorriu. Dentes grandes, brancos. Ele sentiu o cheiro da bala de menta que ela chupava.


- O que tem nesse embrulho? – ela perguntou; parecia ansiosa.


- Como assim? Operação 0X88. Entrega sigilosa ao Adamastor.


- Você tá brincando! – ela zombou - Adamastor morreu.


- Morreu?! – ele desapontou-se.


- Sim. A operação furou. Pode ficar com o embrulho. – ela disse, benevolente.


- Eu... não sei o que dizer. – ele, realmente, estava perdido.


- Não se preocupe. Em breve, informarão você da nova chefia.


- Eu agradeço. – e ele guardou o embrulho na pasta. – Você quer tomar um café ali na frente?


- Obrigada. – ela sorriu. – Estou esperando o agente da operação Y1512.


- Então está certo. – e ele se afastou, sorumbático.


Ficou escondido de longe, observado a moça que, dentro de quinze minutos, entrou em um carro preto e sumiu de vista. E ficou chocado com aquela história toda de operação Y1512. Era a primeira vez que aquela cantada não dava certo. Nunca tinha paquerado uma agente de verdade.


Ela, por sua vez, entrou no carro e comentou com a irmã sobre como tinha se safado de uma cantada. A irmã deixou ecoar uma gargalhada. E a falsa agente secreta acendeu um cigarro, sem perder a pose.


17 comentários:

Karine disse...

Filipe!

Sabe que cada vez mais gosto das tuas histórias?
Gostosas de ler, bem escritas e com um humor finíssimo.

Parabéns...
eu amo ler vc.

Bjs

*Renata disse...

Por essa eu não esperava :)
Adorei o final!
Beijo querido!

Larissa Cruz disse...

Que Saudade de Ler o que vocÊ escreve!
Agora esse Final eu não esperava!...
Bjus!

Andréia disse...

essa foi boa! entra na jogada e confundir o cara...

beijos...

Camila .:εïз disse...

Hahahahaha
Ela é rápida, heim?!
Muito esperta, adoro isso!
Beijo

Avassaladora disse...

Vim te fazer uma visita...!
Gostei do que vi e li...!
Voltarei mais vezes, para ler tudinho com calma!
Parabéns!

Nina Vieira disse...

hahaha!
Da proxima vez q receber uma cantada, vou tentar essa tb!

Seus contos de finais surpreendentes me lembram o Moacyr Sclia. Dah uma lida. Beijao.

Renam Timbó. disse...

Gente, adorei esse texto. Nunca tinha pensado numa cantada dessa :P
Muito bem escrito, parabéns.

Míope disse...

Hahahahahaha

Final imprevisível,
é disso que eu to falando!

Muito bom.
Abç!

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Iana disse...

Ei, seu moço.
Essa foi perfeita! A gente vai lendo, lendo, super desatento, sendo levado pela história e pelo que o rapaz achava... De repente, BUM! Terminamos um suspense com uma comédia. Muitíssimo bom.
A princípio, eu pensei: "Olha lá, os diálogos estão em negrito, ele deve estar imaginando que está falando com ela"... Mas era pior, o coitado... Rs!
Parabéns! =]

Flá. disse...

uhauhau muito bom filipe :D
muito boa tb a foto que vc tirou com a fê fazendo careta! auauhau ri demais ^^

bjão! :*

Bill Stein Husenbar disse...

Nesta época natalicia, desejo um Feliz Natal recheado de momentos bons e inesqueciveis na companhia dos que mais ama. Que a alegria e a esperança se espalhe e se concretizem no coração de cada um de nós.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Avassaladora disse...

Encantada com sua visita!Será sempre bem vindo!
Desculpa pela desordem da casa...! rs
Quando te leio e outros Blogs que frequento, vejo que tenho muito que aprender...Mas nada grande ou grandioso...!
Preciso primeiro aprender a mexer em meu Blog...! rs
Sou totoalmente leiga... e louca... de me aventurar assim...! rs
Prometo arrumar a casa...! rs

Beijos

Mai disse...

Oi, Filipe.
Adorei!
Simplesmente bárbaro este texto-ficcçã, original, para mim.
Agora tu afirmas, com este estilo interessante, aquilo que te falei, outro dia.
Sabe, eu sempre me perguntei, como as mulheres caiam ou se livravam das cantadas masculinas, originais e criativas.
E supunha, que mesmo "mais" inteligentes, as mulheres, sempre cairiam, sobretudo quando não houvesse um "gabarito-antídoto" ao tal veneno-masculino, "a cantada"...
Bem, já sabes a minha opinião sobre tua alma, não revelarei aqui, óbvio.
Mas somente tu, sendo Homem, isto, com "H", maísculo,me darias esta resposta. :)
Adorei, Filipe.
És muito, és demais!

Quase um exagero.

Carinho, sempre.

ALF disse...

Filipe, você trata suas crônicas com tanto zelo, que as torna muito belas. As vezes por seu caráter tão escondido nas entrelinhas e no humor suave rondando o enredo.
Perfeito.

Você constróí muito bem uma história. Nos leva a um clímax incrível, tentanto imaginar o que podemos encontrar mais a frente. O fim sempre nos surpreende. Esse até que você esmiuçou bem o final.

Mais uma palavra? Maravilhos.

Suas histórias me inspiram.
Se você acha que eu escrevo bem, se olhe no espelho meu garoto. Tu tem um talento inquestionável.

Um grande abraço pra ti mineiro.

;)

Mary West disse...

Supreendente!!!! Foi como ler um conto de Sheldon. :D