quarta-feira, 26 de março de 2008

Flor dos Acordes



*Em co-autoria com a Jaya


O que você esconde atrás do seu olhar? Duas bolas cintilantes que me ofuscam mesmo quando você está longe e vem andando devagarinho. E eu não falo metaforicamente, embora goste muito dessas coisas de falar por debaixo dos panos. Basta olhar pra você e ver que seus cabelos de caracóis trazem nuvens brancas e serenas. E quando bate o vento neles, você se transforma em fada com varinha de condão e asas. Porque as suas asas não ficam nas costas, eu bem sei. Mas essa sua forma de falar cantando e essa doçura intrínseca no seu olhar me deixam inebriado. Digo que estou apaixonado? Há tantas formas de se apaixonar. E suas palavras fazem isso comigo, como se eu não pudesse domar meu juízo. E quando você me abre esse sorriso de roda gigante e me mostra que seu mundo é tão encantador quanto sua alma, vejo-me contando os cachos seus e brincando de tirar flores dos seus cantos. Diga-me, de uma vez por todas, o que você esconde atrás do seu olhar?

Eu poderia te contar do meu olhar, e de como agora você se esconde no meio das estrelas que eles guardam em si. Mas eu me vejo deveras distraída ao perceber teu mundo manso junto ao meu. Checo teus olhos em flagrante enquanto me aproximo, e eles me sorriem tão lindos, assim. Será que esse também é teu jeito de sempre chegar? Você me conta coisas tão bonitas no meio dessas tuas palavras de lírios, tão coloridos e bem cuidados, que eu não sei evitar lembrar da música de Chico que diz: eu vim com a flor dos acordes que você brotando cantou pra mim. Foi assim que eu vim. Esse perfume pueril que você sabe dosar, me remete a um pensamento que talvez até pareça demasiadamente infante. É que eu enxergo tua alma tão claramente e de uma maneira tão afável que não seria absurdo nenhum pensar que elas já caminhavam de mãos dadas quando ainda não sabíamos que ia acontecer nós dois, um dia. Num tempo onde nossas afinações ainda não existiam, onde nossos sonhos se extraviavam. E agora eu te olho daqui, pousado no mesmo campo que eu pintei pra mim, com esses lábios risonhos, como quem diz que acabou de voltar ao mundo e conhece os tesouros de todas as doces liras dos poetas de outrora. Agora que já ancoramos no mesmo porto, me leva um pouco com você, façamos um passeio gentil por entre esses ares coloridos. Me fala baixinho sobre a tua música.

Você quer um passeio? Dê-me aqui sua mão, vou mostrar a você onde eu guardo minhas canções. E não se assuste se eu começar a despejar meu coração em prantos. É porque eu sou chorão e não gosto de dormir no escuro. Mas quando sinto sua brisa, eu também percebo o pôr-do-sol que você faz nascer em mim. Você , então, puxa uma cadeira e fica do meu lado, vendo o sol descer. O que fica guardado em mim nem é tanto o momento. É você pintada de ouro, reluzindo como uma estátua de Madri. Aproveito e faço-lhe uma coroa de flores. Você não fica mais bonita. Não, sua beleza não brilha como o diamante. Sua beleza cálida é aquela que percebo quando pego sua mão e tudo ao meu redor se eterniza. Porque você me cativa. Porque, finalmente, entendo o que você esconde no seu olhar. E não é só ternura. É um rio infinito de águas que você tira pra eu beber. E essa água é poesia. É poesia.

Meu livro é decifrado tão facilmente por você, às vezes confundo teus olhos nos olhos meus. Quando nossas mãos se tocaram, não sei se você notou, me fiz cintilante. É tua presença em mim que faz despertar esse brilho maior. Enquanto teus dedos brincavam com as flores em coroa, eu fitava você sentado ao meu lado, observava detalhes desse teu desenho bem traçado. Quem te talhou com tanta delicadeza e salpicou tamanha doçura nessa tua pose de encantado? Ao mesmo tempo em que teu pranto encontra o meu, nossos corações iniciam uma conversa infinda, e só uma coisa me assusta: a possibilidade de nunca terem se conhecido. De onde vem tanta candura que faz tua poesia se misturar com a minha? Você caiu no meio das minhas quimeras mais preciosas, e se encaixou tão bem. Ah, que estrela você é! Repara o céu, a lua está pedindo licença pra chegar com seu afago celeste. Já é noite, e a gente se ilumina tanto! Vamos combinar uma coisa? Quando o escuro aparecer, e você estiver bicudo com suas lágrimas, olha o céu. Ele é o mesmo para nós dois. Lá sempre vai haver uma estrela vestindo um pedaço do meu coração, ela é meu presente para você. Prometo que sempre iluminará outra vez teu fulgor meigo e enternecido.

Vamos caminhar de volta? Tão injusto o tempo chegando como quem impõe suas vontades! Ele quer te roubar daqui. Diz ser hora de fechar os olhos. É que o sol se prepara para despertar sorrindo amanhã, sem nem desconfiar que minha lente já te fotografou comigo.



26 comentários:

Lucas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...

Queria saber quem deu esse poder a vocês dois? De brincar com palavras doces e profundas e trazer a tona sentimentos reais a respeito de um amor romântico... Sinto em dizer que lhes invejo... Novamente emudeço-me, pois não consigo, com o mesmo dom, exaltar tão doces palavras sobre a paixão.
Abraços

imnotinsane disse...

Lindo
Lindo
Lindo!!!
Adorei :)

Bárbara Matias disse...

Nossa.... to tão emocionada e a cada vez que leio algo seu.. (ou da jaya) acontece o mesmo! E cada texto é tão único e provoca em mim um sentimento tão gostoso.... saboroso que só. Não sei explicar esse sentimento, sei que perpassa por um pouco de alegria, uma alegria calma e doce, também tem uma pitada de paz e sentimento de vida. Sentimento de vontade de viver... vontade de viver o texto. Ler e viver o que há ali, e de repente, ao deliciar-me nas palavras elas tomam conta de todo o conjunto de mim e se tornam bem vivas, se tornam experiências minhas....

A vocês dois agradeço.. por esse sentimento tão grande, tão profundo, tão real que se torna difícil de limitar em palavras. Por esse sentimento que tem gosto, que tem cheiro, que ouço, mas que está bem aqui dentro exalando em meu sorriso.

Com muito carinho... a esses escritores que nos tocam.

Mr. Ziggy disse...

Ja era de se esperar que a afinidade poetica que vc e a Jaya tem acabaria gerando algo tao precioso...

Vcs falaram sobre o que muitos falam, trataram de um casal que se ama de uma forma singela, intensa e simples. Vcs trataram de forma simples tb, mas com uma poesia tao suas que a simplicidade e a ternura tatuadas nas palavras geraram algo muito lindo.

Nem sei muito o que dizer. Foi tudo tao honesto aqui, que qualquer palavra seria excesso.

Entao prefiro reticenciar em silencio. Vcs e suas palavras linda me encantam sempre...

Abbracos e perdao pelas faltas de acento etc, eh que o teclado ta desconfigurado. Abrazzo!

Ana disse...

Nossa!!! Que delícia de texto!
Tudo tão intenso.
Parabéns para os dois!
Bjo!

Juliana Caribé disse...

Gente, o que é isso?
Que texto maravilhoso vocês escreveram. Um diálogo que merece ser gravado na madeira, para que não se perca nunca... Melhor ainda, nos corações de quem passa por aqui e lê.
Estou encantada.

Beijos aos dois.

Gabriela disse...

Felipe, por que me perguntou se eu não gostei do teu texto??
[nontendi...]

Vou dizer exatamente o mesmo que disse lá na Jaya...

"Meu livro é decifrado facilmente por você."

Achei simplesmente o máximo.
[não foi isso que ue disse lá na Jaya, mas tá valendo, né?]

Beijoo

Camilinha disse...

"E quando você me abre esse sorriso de roda gigante e me mostra que seu mundo é tão encantador quanto sua alma..."

taí... não lia um tesouro assim há tempos... obrigada!!!

beijos daqui...

Indh disse...

É até dificil comentar. Qualquer palavra que alguém diga seria incapaz de classificar um texto tão bem escrito e profundo.

Parabéns ^^

Ana Cláudia Zumpano disse...

suas palavras são como notas musicais... e soam tão afinadas que eu leio com olhos fixos e acabo o texto com olhos brilhando e um largo sorriso... que texto maravilhoso!!!
esse seu mundo é maravilhoso!
bjos ;*

Fê Probst disse...

Li o texto na Jaya primeiramente. E confessei que ficou lindo! Perfeitamente escrito, tocante e profundo.
Não custa repetir.

Rose disse...

!!Belíssimo!!
Palavras trocadas na mais pura sintonia.
beijos

Nathalia Alves Vanderlei disse...

Maravilhoso texto.
Parceria que deu muito certo!

;*

Ana Damasceno disse...

Oi Filipe!

Seu texto foi indicado a categoria de melhor texto do mês no Entre vistas!!!! Parabéns....

http://entrevistasvirtuais.blogspot.com/

Depois volto para comentar o texto...OK?!

Bjinhos..

Ana

Karine. disse...

Lindo, simplesmente lindo.

A afinidade de vocês é incrível e eu li três vezes simplesmente por prazer.
Obrigado, não lia um texto tão bom assim há muito tempo!

Bjs

Li disse...

já disse lá na jaya e repito aqui... ler vcs me deixa leve, leve!

disse...

Muito lindo o texto. Nada pra acalmar o espírito como palavras bonitas falando de amor. Como é bom sonhar e ter alguém pra compartilhar tudo. Adorei as palavras de vocês.

=)

a clara menina Clara disse...

impressionante.

Andréia disse...

que lindoooooooo!! essa parceria deu mais do que certo... impressionante como o trecho de um complementa o do outro..

façam mais vezes!


beijos

Banzooo disse...

Texto lindo!! *-*

[Ana Clara]

Camilla disse...

Filipe,

tenho enorme prazer em lhe convidar para aderir a minha primeira campanha: A Amazônia é nossa!
Se quiser participar, poderá ler a postagem sobre a mesma:

http://devaneios-online.blogspot.com/2008/03/amaznia-nossa.html

Estou deixando o endereço aqui para ficar mais fácil localizar a postagem no blog, já que na medida que for fazendo outras, ela vai descer.

Se for participar da campanha, poderá pegar o selo em meu blog. Pode indicar quantos blogs quiser, desde que passe para eles o endereço da postagem em meu blog. Você também deverá fazer uma postagem sobre o assunto, a fim de conscientizar os blogueiros da importância da floresta. Ajude! Conto com você, a Floresta Amazônica agradece!

Beijos!

"Ninguém comete erro maior do que não fazer nada porque só pode fazer um pouco. Para o triunfo do mal basta que os bons fiquem de braços cruzados" (Edmund Burke)

Mariana Lima disse...

lindo, nada mais.
brilhou aqui tudo... dentro.
sorrio.

Marcela ツ disse...

Como eu disse pra minha irmã Jaya, é maldade juntar duas almas assim, como as de vocês. O resultado arranca de dentro da gente o que há de mais sensível.
Uma das parecerias mais lindas que eu já vi!
Beijão

Fernando Locke disse...

Minha smais sinceras congratulaçoes aos dois! apesar de não conhecer vc, Jaya, creioq devo passar em seu blog pq todos falam tão bem de seus textos e hoje pude comprovar! não conheço como vc escreve,mas creio q vcs dois misturaram seus estilos e isso deu mto certo! Mto bom mesmo! abraço!

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.