domingo, 1 de fevereiro de 2009

Dona Lêda


Dona Lêda, mulher boa. Gorda que só. Arrastava as pernas grossas com uma dificuldade que lhe impunha seus quase cem quilos. Tinha uma alma que esvaía pelos olhos. Falava de amores, felicidade, esperança. Era uma terapeuta. Recebia as amigas em casa e ficavam de prosa. Quem conversasse com Dona Lêda sentiria o desembaraço dos problemas, a pitada de tranqüilidade que ela jogava por cima do desespero, a fé invejável que ela carregava no peito, feito escudo.


Aos domingos, fazia almoço pras crianças pobres do bairro. E lia histórias pra elas. Gostava de contar-lhes sobre o Pequeno Príncipe e a metáfora da raposa. “Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas.” As crianças voltavam pra suas casas ao entardecer,com gosto de chocolate quente na boca e com sensação de maturidade por dentro.


Dona Lêda não tinha filhos, não tinha marido. Perdeu um noivo quando estavam prestes a se casar. Foi quando ela afogou suas tristezas na comida. E ganhou quase cem quilos.


A criançada da rua parava debaixo da sacada de Dona Lêda e gritava:


- Tem bala, Dona Lêda?


Lá de cima, ela despejava os doces nas crianças que corriam eufóricas pra colher as balas que rolavam pela calçada. Depois elas lançavam um sorriso de ternura que Dona Lêda retribuía.


Um dia, quando Dona Lêda regava o jardim que mantinha em frente à sua casa, passou um menino agarrado à sua mãe.


- Mãe, por que Dona Lêda é tão gorda? – perguntou o menino sem adequar o volume da voz.


Dona Lêda se voltou para a direção de onde vinha a vozinha e encarou a criança.


- É pra caber o coração, meu filho. – disse a mãe e levou o filho pra casa, aos beliscões.


Dona Lêda deixou escapar um sorriso. Foi uma das coisas mais bonitas que escutou na vida.




Agora, eu e a Jaya estamos também em: Viver para contar


37 comentários:

Vanessa disse...

:-)

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

LISBOA = PORTUGAL

Olá Filipe

Aterrei aqui de para quedas – e gostei. Bom blogue, sim senhores, o teu. Interessante, bem arrumado, bem escrito. Repito: tu escreves muito bem. Para um jovem de 21 anos, mesmo muito bem. Se quiseres saber quem eu sou, visita o meu blogue, sff. Tudo o que lá está a meu respeito é a pu…ra verdadíssima. Hahahaha!

A entrevista feita pela Vanessa também estava óptima - tenho de começar a escrever ótima, nv Acordo... A sério: sou jornalista, por exemplo fui Chefe da Redacção do mais importante jornal portuga, o Diário de Notícias. E desde o ano passado, dizem… que sou escritor. Publiquei o «Morte na Picada», livro de contos sobre a guerra colonial em Angola (1966/68) em que, infelizmente participei. Maluqueiras dum «ancião» de 67 primaveras…

Entretanto, se quiseres, atenta cuidadosamente no que está a… seguir. Obrigadérrimo

SEGUIDORE(A)S PRECISAM-SE

Inscreve-te como seguidor(a) do meu blogue – e serás muito feliz. Não pagas nada. Nem taxa de inscrição nem quaisquer quotas. Muito menos IRS ou IMI. Tens a tua (belíssima) foto e o teu blogue ali anunciado. Fazes novo(a)s Amigo(a)s. E passas a receber mensagens de muita gente e de muitos Países. E eu entrarei no Guiness das Listas de Seguidores. É tudo benefício. E… sem truques. Bué da fixe!!!!! Verás que não te arrependes… Eu antecipei-me e já te paguei na mesmíssima moeda, juro pela minha virgindade (1941/09/20).


O meu imeile ou imilio (primorosas criações cá do rapaz):
hantferreira@gmail.com. Manda-me o teu, se quiseres… É uma O-R-D-E-M-!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! hahahahahaha

Espero por ti na minha lista, pelos teus cumentários, com o, e que o teu gang assim também proceda. Amen.

Podes escrever em Português, Español, English, Français ou Italiano, keu falo e escrevo. E até uns bitaites de Deutsch que estudei no liceu, compreendo e escrevo umas coisas, bem como umas pouquíssimas frases de Roman.

ATENÇÃO, MUITA ATENÇÃO:

Se alguém dentre os destinatários já foi convidado ou se já se inscreveu, mil perdões. E todos os que costumam visitar este teu blogue também o podem (e devem…) fazer. Ahahahah

++++++++++++++++

Este é um texto tipo. Com algumas alterações, obviamente. De outra forma, não conseguiria chegar a todos. Peço-vos que compreendam e me desculpem. Não tenho (ainda) o dom da ubiquidade…

Abs

Mai disse...

Donas Ledas e seus imensos coraçoes.
Isto é o que me faz voltar sempre aqui.
O teu olhar que vê a beleza interna...
Como disse Exuperry 'só se vê bem com o coração, o essencial é invisível para os olhos'.

Há escritores que fazem o caminho inverso onde modelos belas trazem essência putrefata.
Tu percorres outra via. foi assim com a Tereza e agora com dona Leda.

E outras.

Por isto digo que és um escritor diferente.

beijos.

Luciana Brito disse...

Lipe!!

Muito legal o seu texto. E pensar que algumas Donas Lêda existem por aí...

Tantas e seus grandes corações que distribuem afeto por aí.

Adorei.

Beijos moço. ^^

disse...

Ah q lindo!!! Existem pessoas realmente assim, q nos faz sentir bem sem querer nada em troca. Ainda quero conhecer muitas Donas Lêdas por aí.

Joely disse...

Que belo jog de palavras você faz! Escreve muit bem. Comovente e interessantíssimo! Quantas pessoas precisam descobrir o que há no interior do excesso de Dona Lêda, não é verdade?

Forte abraço!

Thiago disse...

apresente-me a Dona Lêda que eu fiquei mesmo com vontade de conhecê-la!

Abraço, Lipe sumido.

C.L. disse...

Ah!Mais um texto belíssimo, nenhuma surpresa, claro. Só satisfação e felicidade ao retornar sempre e sempre ganhar tão boas leituras!
E a Dona Lêda, meu Deus?Tantas por aí, tantas despercebidas e diminuídas em sua grandeza peculiar...

Amei.

BEijos.

Asas, sonhos e coração... disse...

Que coisa mais linda! Tão bom vir aqui e me deparar com textos como este...

Me apresenta a Dona Lêda?
Ando precisando de pessoas com o coração grande como o dela...

Beijos, Querido!

Day disse...

Serei breve.
[apesar de poder passar linhas e linhas comentando seu post]

por todos os sentimentos envolvidos e palavras usadas..
te indico ao Prêmio Dardos
[fuçando o blog alhieo acheio o seu].

caso aceite, passa na minha página
e vê as "regras"..

em espera...

da resposta!


beises

;*

Srta. Festa disse...

Acho que todo mundo já conheceu a "Dona Lêda" eu conheci ela quand tinha 8 anos. Muito bom o texto Felipe =]

E ah...e andava sumida mas voltei, sabe como é, as ferias...ainda bem que acabou =D

Bjos e espero que tenha tido um ótimo inicio de ano.

Juliana disse...

vc tem uma forma de embalar a história com um laço tão bonito

arrepia quase sempre no final

=]

Larissa Cruz disse...

Cada dia Novo, você me surpreende com mais uma história, mais um conto, mais uma fantasia, é impossivel não ir além aquii, além de mim e da minha imaginação!

Deixo aqui a indicação para o Prêmio Dardos, caso aceite passa no meu blos e Veja as Regras.

Bjus




Esperoo...

J. Caribé disse...

Lipe, que saudades!
E que texto lindo (mas isso nem é novidade).
Criança é assim mesmo, às vezes deixa a gente em algumas situações embaraçosas, mas é porque elas não têm o medo que a gente não tinha e adquiriu ao longo da vida.
Dona Lêda (que é o nome da minha amiga-irmã) tem o coração grande, do tamanho do seu.
Um beijo.

Luifel disse...

Nussa! Deus queira ter eu um coração como o de Dna Leda, essa mulher é um exemplo pra todos nós.

Abç, senhor sumido!

alex e! disse...

...embora não pareça, há muitas donas lêdas por aí nesse brasilzão, Filipe (ou pelo menos é nisso que eu prefiro acreditar), sabe, gente que, mesmo não pesando 100 ou 200 quilos, tem um coração que não cabe no mundo. Pode ser que não puro altruísmo, é certo, mas estender a mão ao próximo já é, em si, um ato admirável nesses nossos dias... um abraço pra ti

=D

Mr. Ziggy disse...

Senti uma curiosidade sincera de conhecer a Dona Lêda pessoalmente. Me lembrou Doscas (ou Tabita), a mulher que com uma agulha ajudava viúvas. Deus usou Pedro para que ela ressuscitasse. E ela continuou sendo útil. E isso é bom. Essas pessoas com quê de simplicidade sempre têm algo de bom pra passar, uma boa história pra gente ouvir. De menino (e de mais velho também), eu gostava demais de passar as tardes de domingo ouvindo as histórias da minha avó. Um doce, até.
Abraço!
Zy

Mr. Ziggy disse...

*Dorcas

Priscila Petrarca disse...

há quanto tempo não passava por aqui! mas voltei, e tá tudo lindo! adorei! beijão

Luan disse...

viva as donas lêdas da vida.
( o nome da minha tia)
abraço

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thyago David. disse...

Tenho um aqui pertinho de mim...
kkkk

Abraço rpz.

ALF disse...

Uma história linda por demais Filipe. A doçura dela encanta o coração.E o fim é demasiadamente sensível.

Coisa que só o teu coração Filipe consegue exprimir. Texto lindo, muito lindo.

ps: Voltei de férias Filipe. Espero que você dê uma passadinha no meu blog. Tem tempo que não leio palavras suas por lá. Tudo de bom viu. Abraço

Gabriela M. disse...

Uma mulher interessante essa Dona Lêda.

Tive uma Dona Lêda na minha vida, mas essa era diferente. Baixinha e magrinha. Menor que eu.
Foi minha professora.

;***

Rômulo disse...

"As crianças voltavam pra suas casas ao entardecer,com gosto de chocolate quente na boca e com sensação de maturidade por dentro"
Destaco o trecho.

O seu texto é simples e poético. Também me pareceu que há algo de interessante sobre o preconceito contra a aparência das pessoas na inocência do menino e na resposta da mãe. Meus parabéns. É bom ver que jovens de nossa idade ainda pensam e escrevem sobre a vida.

um abraço

Biani Luna disse...

encantador.

salve salve dona lêda e seus muitos discipulos que andam por aí.

xero,

Tamires ________ disse...

Felipe,

Desculpe a demora em reaparecer, mas sempre qdo volto me surpreendo cada vez mais.

Vc cada dia nos apresenta um belo texto que nos faz refletir.
E ah, não poderia deixar de falar... tenho uma Dona Lêda, literalemente, em casa. Tão linda. Minha mãe.

Com filhos e marido, longe dos cem quilos, mas com um coração igualmente imenso.

Te digo que ela tb o leu. e o sorriso que me deu comprova: "Foi uma das coisas mais bonitas que escutou na vida."

Parabéns nossos. Meu e da Dona Lêda.

Beijos!

Karine disse...

Oi Filipe!

Belo texto, acho que conheci uma Dona Lêda também. Todo mundo que conhece alguém assim nunca esquece.

Deus abençõe.

Bárbara Matias disse...

Oi Filipe!!!

Pra variar, adorei! =D
Saudades de vc!
bjim!

Flá. disse...

Ahh Quem dera se todos tivessem um dom de resposta igual a mãe do garotinho..e quem dera se todos tivessem o coraçãozão da Dona Lêda. :)

Filipe, bom te ler novamente.

Beijos!! :*

Andréia disse...

ohhhhh!!! vc sempre me supreende...

beijos

Flá. disse...

Parabéns Filipe pelo seu dia!! :DD
Fica com Deus e permaneça nEle..
grande abraço,
Flá!

Mary disse...

Que lindo! Escapou-me um sorriso também. Adorei.

Obrigada pela visita, Filipe!
Adorei aqui e vou voltar mais vezes. :)

Beijoss

Ana disse...

Doce e suave, sempre na medida.

Beijo!

Ana

Jaya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
barbra brusk disse...

ai que bonito, ai que bonito.
eu só conhecia o outro. bom que tu me mostrou esse.

teu comentário fez meu domingo (a parte feia da semana) ficar mais fácil. deixa a gente feliz.

beijo

Mr. Ziggy disse...

Cara, se você não atualizar isso aqui eu vou descer a lenha nocê. Fica esperto, viado, que leitor nenhum aqui tá por sua conta não... ¬¬'